Pular para o conteúdo principal

NUNCA VI UM POETA FELIZ














NUNCA VI UM POETA FELIZ 
Por Elvis Rossi da Silva 


Nunca vi um poeta feliz.
Às vezes penso que um poeta
Está fadado a ter sempre no rosto partido
Uma lágrima rolando na escuridão.

Ter os olhos cabisbaixos,
Ter suspiros amontoados,
Vez ou outra olhar para cima, 
E voltar a chutar pedrinhas pelo chão.

Nunca vi poeta compor ode à alegria
Sempre um réquiem, missa de sétimo dia,
Ainda que pinte o Arco-Íris, céu estrelado, 
Lá estará a bendita rolando pelo cinzel.

Há sempre motivo para sorrir,
E cem outros para chorar.
O sol lhe revelando as cores do dia,
Mas a lua lhe dando a inspiração.

Seu amor é sempre impossível,
Como um Orfeu acabrunhado e sua lira,
Mas se porventura é correspondido,
Nunca o é por completo.

Que poeta já se ouviu
Que saiu por aí, por muito tempo
Pelo menos e não recaiu em tristeza,
Cantarolando como rouxinol azul?

Nunca vi um poeta feliz.
Às vezes penso que um poeta
Está fadado a ter sempre no rosto partido
Uma lágrima rolando na escuridão.

Sempre em busca de sua musa
A deia d’alma, prometida.
E a busca tão longe na vida,
E a jornada é sempre em vão.

Não consegue sobreviver entregue
A um sorvente amor sublime, 
Mas ao mesmo tempo, coitado, 
Sem ele viver não se permite. 

Ah! Fatídica ventura.
Se ama morre, mas se não ama,
Morre também! Quem, de ti,
Misero poeta, te libertará?

Chutas pedrinhas, suspiras,
Choras, Amas, vives e pereces,
E sempre estarás caminhando pela vida,
E sempre estarás com teu cinzel molhado...

Nunca vi poeta feliz...
Vezes penso que o poeta
Fadado está, ua lágrima
Ter na face vertida, 
Ainda que escondida
Em meio à luz do dia
Ou envolta pela triste escuridão...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPACIDADE CIVIL ALTERADA PELA LEI 13.146/15

O artigo 114, da Lei 13146/15, publicada no dia 7 de julho, revoga algumas causas de incapacidade civil, que eram previstas no artigo 3º, do Código Civil, e entrará em vigor 180 dias após a sua publicação.
Estes incisos consideravam como incapazes os  que, por enfermidade ou deficiência mental, não tinham o necessário discernimento para a prática de atos jurídicos, mesmo por causa transitória, e não podiam exprimir sua vontade.
Toda norma que estabelece a capacidade civil é criada com fundamento em critério biológico ou psicológico, quer dizer, idade e capacidade mental, questão de ‘política’ social convertida em norma jurídica, quer dizer, o legislador considera uma circunstância social e legisla.
Mas uma vez que certo critério social já revela que a sociedade já não considera certas pessoas em determinadas condições como incapazes, o legislador cumpre seu papel de adequar as normas (ou cria a norma para adequar a sociedade?).
A capacidade, que é elemento da personalidade, é a “medida j…

Militar é incompetente demais!!! Militares, nunca mais!

Conforme pedido do autor do texto, retifico a autoria do mesmo. Logo abaixo do texto deixo o e-mail solicitando a retificação e reivindicando a autoria. Ainda assim, vale a pena ler o escrito.
Militar é incompetente demais!!! Militares, nunca mais!
Anselmo Cordeiro (Net 7 Mares)

Ainda bem que hoje tudo é diferente, temos um PT sério,
honesto e progressista.
Cresce o grupo que não quer mais ver militares no poder,
pelas razões abaixo.

Militar no poder, nunca mais.
Só fizeram lambanças.
Tiraram o cenário bucólico que havia na Via Dutra de uma só pista,
que foi duplicada e recebeu melhorias;
acabaram aí com as emoções das curvas mal construídas e os solavancos estimulantes provocados pelos buracos na pista.

Não satisfeitos, fizeram o mesmo com a rodovia Rio-Juiz de Fora.

Com a construção da ponte Rio-Niterói, acabaram com o sonho de crescimento da pequena Magé, cidade nos fundos da Baía de Guanabara, que era caminho obrigatório dos que iam de um lado ao outro e não quer…

A LINGUAGEM QUE CORRÓI COMO CANCER

EXMO"Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
Mas evita as conversas vãs e profanas; porque os que delas usam passarão a impiedade ainda maior, e as suas palavras alastrarão como gangrena; entre os quais estão Himeneu e Fileto, que se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição é já passada, e assim pervertem a fé a alguns.

Todavia o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os seus, e: Aparte-se da injustiça todo aquele que profere o nome do Senhor.

Escrevendo a Timóteo pela segunda vez, Paulo deixa claro que a língua é instrumento mortal.

Tiago ficou célebre entre nós pelo seu magnífico texto sobre o poder infernal e corrosivo da língua—neste site a epístola de Tiago tem sua re-leitura feita, procure—, mas quase nunca se dá atenção ao que Paulo falou à respeito da linguagem e da língua.

Ele diz que a língua tem o poder de subvert…