segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O MEC E JOSEPH GOEBBELS


O Plano Nacional de Educação, a lei de diretrizes e bases da educação nacional, são verdadeiros absurdos.

Agora a lei (sempre a lei tem solução para tudo, não é mesmo?), quer deixar as pessoas nas escolas por mais tempo (1400 horas no mínimo, por ano). Quem sabe mais tempo na escola, aprendamos mais, certo?

Artes visuais, dança, música e teatro fazem parte o currículo escolar, salientando que a “cultura nacional e regional”, deve estar nisto tudo. (Haja Funk nas escolas brasileiras para o seu filho dançar etc.).

É também obrigatório, bom dizer, exibir nas escolas pelo menos duas horas de filme nacional. Isso é praticamente uma tortura contra as crianças, caso de polícia! Cadê o ministério Público? Ou vão repetir os mesmo filmes ou as crianças começarão a ver pornochanchada. Fala sério!

Mais. Não sei de onde tiraram a idéia de que 'expressões regionais' seria sinônimo de boa cultura para estar no currículo da educação infantil e fundamental. É um conceito por demais vago que aceita de tudo, inclusive qualquer lixo que se queira elevar a ‘cultura’. Aliás, desconfio do que seja cultura no Conceito de um Governo que quer dizer o que é ou não cultura. Isso me cheira a Nazismo.

Tudo indica que no Brasil a imbecilização do indivíduo é cultura.

Talvez seja por isso que 94 bilhões de reais gastos pelo governo federal, por ano, em educação (dados de 2015), não resolvam muita coisa. Pode ser a causa de o Estado querer colocar obrigatoriamente uma criança de 4 anos na escola, horas e horas aprendendo sobre transversalismos e não tira-la de lá até completar 200 anos de idade.

Quase cem bilhões em educação por ano e o Brasil não ganha um único prêmio internacional na área da educação, está sempre no fim da lista de qualidade em educação; não se vê uma Universidade brasileira (nem as Universidades Federais - Clara ex stirpe), nas listas de melhores universidades do mundo.

Ler os “Parâmetros Curriculares Nacionais” do MEC é algo que comove os intestinos (pejorativo!), como Nação deveria nos dar calafrios!

Por exemplo, a conceituação de Democracia nos tais “Parâmetros" do MEC é uma violação à inteligência e, como sempre, é o supra-sumo da desonestidade intelectual, da vigarice, é pura embromação. Serve apenas para divulgar uma agenda ideológica destinada a moldar mentes e fazer escravos. Não resiste a mais breve análise do que sejam direitos civis e democracia.

O conteúdo dos “Parâmetros Curriculares Nacionais” falam em direitos humanos mas são, eles mesmos, verdadeira violação dos direitos humanos, direitos civis, sem os quais não haveria direitos humanos reconhecidos pelo Estado, pois implicaria em ausência de liberdade! (Aliás, diga-se, sequer o conteúdo destes "parâmetros" fora consultado  e aprovado pela própria população e é colocado em prática Manu Militari, fazendo os estudantes, coitados, engolirem a seco tais disparates !!!!!!).

O MEC deveria ser chamado de “Ministério da Propaganda Cultura Nazista”, totalmente voltado para a idiotização da população e da promoção do Estado totalitário que deseja ser a “Mãezona” do povo (nos moldes dos escorpiões que comem seus próprios filhotes).

Talvez em breve haja nos livrecos do MEC o busto de Joseph Goebbels sendo ovacionado pela genialidade e luta pela verdade.

Por isso que me pergunto: 500 anos de Brasil e permitimos taiscoisas, calamos, consentimos, e depois exigimos do mesmo Estado pilantra postura ética, valores sublimes?

Já dizia C. S. Lewis:

“Numa espécie de mórbida ingenuidade, extirpamos o órgão e exigimos a sua função. Produzimos homens sem peito e esperamos deles virtude e iniciativa. Caçoamos da honra e nos chocamos ao encontrar traidores entre nós."


terça-feira, 30 de agosto de 2016

A SABEDORIA e SEU CRIADOR

Acredito ser muito importante que sempre estejamos em busca de conhecimento.

Estudar faz parte da vontade visceral que nos habita de conhecer. Entender a realidade que nos circunda, os segredos da vida nos chama pelo nome.

Saber nunca é demais, já se diz por aí, entretanto, é preciso reconhecer que nem todo conhecimento está de acordo com um padrão de bem supremo (às vezes se convertendo em loucura), e que o conhecimento, todavia, não é perfeito, no sentido de plenitude, pois quem sabe a plenitude de tudo? O apóstolo Paulo já dizia, “em parte, conhecemos, e em parte profetizamos, mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado”.

É necessário reconhecer, então, que nenhum conhecimento é absoluto, pleno, completo, capaz de compreender a totalidade da realidade, mas nem por isso, entretanto, deixamos de buscar a verdade, o conhecer, o saber, pois esta ocupação “deu Deus aos filhos dos homens para nela os exercitar”, já esclarecia o Pregador. 

Mas é preciso, por outro lado, estar atento para não cairmos numa armadilha da alma humana, ‘crer que se está acima do conhecimento Divino’, em especial quando o tema de estudo e objeções é, justamente, ‘o Divino’.

Não é meu intuito aqui, nem poderia por óbvio, pôr um fim no assunto sabedoria ou conhecimento ou conhecimento divino (pois quem conhece a Deus melhor que Ele? Ou sabe mais que Ele?), mas apenas salientar que para Deus importa, sim, que o homem busque a verdade, que compre a verdade e não a venda, e também a sabedoria, a instrução e o entendimento. É importante ter em mente que para Deus, é importante que entendamos que a sabedoria é a coisa principal e devemos adquiri-la empregando tudo o que possuímos. Mas Deus  também diz que a sabedoria habita com a prudência, e mais, que o princípio da sabedoria é o temor a Ele, uma vez que os olhos dos homens não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.

Donde, pois, vem a sabedoria, e onde está o lugar da inteligência? Quem pôs a sabedoria no íntimo, ou quem deu à mente o entendimento? A resposta é: (de) Deus. 

De tal forma, apesar do muito conhecimento humano, de todos os estudos, de todas as doutrinas, de todas as teologias e filosofias, de todos os textos produzidos, de todas as opiniões, por fim haverá de ser lembrado que é a Ele que se deve atentar e humildemente pedir pela instrução sobre o que seja ou não dEle, a fonte suprema da sabedoria e do entendimento; posto que confiar no seu próprio coração é insensato.

Em muitas oportunidades nos deparamos (e nos depararemos) com questões complexas, difíceis, as quais geram, não raramente, disputas das mais variadas. Mas devemos saber que “a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia”!

Eis que “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e apartar-se do mal é inteligência”. Pois se nalgum tema, nalgum momento, nos depararmos com a falta de sabedoria, peçamo-la a Deus, que “a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-nos-á dada” em “boa medida, sacudida, recalcada e transbordante”.

Que Deus nos guie no caminho da verdade, e então seremos livres da obscuridade.




terça-feira, 16 de agosto de 2016

À VIDA



Andai nos lugares ermos e por sobre as pedras e vede que o Senhor deu ordem à vida para surgir até mesmo por entre fendas e cúspides.


Virgil Iudaea

quarta-feira, 16 de março de 2016

DE UMA VEZ POR TODAS, ENTENDA O COMUNISMO E O QUE HÁ NO BRASIL.

DE UMA VEZ POR TODAS, ENTENDA O COMUNISMO E O QUE HÁ NO BRASIL.
*
A base ética do comunismo é uma forma de humanismo materialista.
*
Assim sendo, nem Deus e nem a alma humana são centrais para ele.
*
De acordo com essa ética, temos a presunção de dizer que o cristianismo é aliado das classes exploradas. A religião, de modo geral, é chamada de “ópio do povo", é considerada um empecilho para o avanço do sistema comunista.
*
Para ele as mudanças de classes só ocorrem mediante a luta de classes.
*
No comunismo acredita-se que somente no triunfo do mesmo pode-se atingir a perspectiva ética correta. Porém no que consiste essa perspectiva, se for algum dia alcançada? Ela esta baseada na prosperidade material das massas (em teoria), apenas isso, Deus é deixado de lado. Essa busca material e da revolução do poder justifica o terrorismo, as guerras, destruição econômica, a violação de toda sorte de direitos  e as perseguições, que se têm feito em “nome do comunismo”.
*
O que dizer sobre a luta de classes? Quando examinamos o que realmente sucede no comunismo, vemos claramente que uma nova classe substitui a antiga classe dominante. Essa nova classe é a dos ‘chefes do partido’, que usam de tirania, abusam dos direitos humanos e lançam mão da mentira e toda sorte de aparelhamento do estado para manter-se no poder, inclusive do homicídio para Impor-se. E o povo? O povo tornou-se um mero degrau para a vontade dos membros especiais do partido e o povo  jamais chegará ao poder (nem mesmo à prosperidade material tão prometida).
*
O comunismo não obtém uma sociedade sem classes. Bem pelo contrário, o comunismo é a forma mais bem-sucedida de fascismo. Essa nova classe dominante é apoiada pelo poder militar e da mídia de massa por ele dominada.  Qualquer resistência aos chefes do partido não somente produz reprimenda dos mais variados tipos, como a prisão e a morte (veja na história). A liberdade pessoal, essencial em qualquer sistema ético, simplesmente acaba por desaparecer.
*
O código moral do Comunismo consiste nos seguintes pontos (mas há um ‘porém’ que explicaremos a seguir):
*
a. Devoção ao comunismo
b. Trabalho consciencioso
c. Preocupação com a saúde pública
d. Elevado senso de dever público
e. Coletivismo e ajuda camarada
f. Relações humanas entre as pessoas
g. Respeito mútuo
h. Honestidade
i. Veracidade
j. Pureza moral
l. Modéstia
m. Lealdade à família e cuidado com a mesma
n. Atitude intransigente diante das injustiças
o. Amizade e fraternidade
p. Intolerância para com o ódio nacional e racial
q. Atitude intransigente diante dos inimigos do comunismo
r. Paz
s. Liberdade
t. Solidariedade fraterna com a classe trabalhadora, em toda parte.

Há, contudo, um ‘porém’ nessas qualidades “morais, a Redefinição de Termos!
*
Apesar de alguns pontos acima desse código parecerem bons, para o comunismo o ódio e a violência não são proibidos quando são dirigidos contra os não comunistas (os não adeptos do partido).
*
A fraternidade aplica-se somente aos comunistas. Para com os não comunistas só há intolerância.
*
A paz só seria imposta mediante a eliminação dos não comunistas e dos inimigos do partido.
*
A liberdade consiste na liberdade de servir ao comunismo (partido), mas não de opor-se ao mesmo em qualquer sentido.
*
Não há qualquer liberdade para alguém possuir propriedade privada ou propagar sua religião. Isso importa em uma definição escrava da liberdade.
*
Deveríamos notar que são usados os mesmos termos que são empregados em outros sistemas éticos, embora tais termos sejam redefinidos em harmonia com a filosofia comunista como supremo e único bem.
*
Assim, o labor consciencioso só é bom se for realizado em favor do comunismo (partido).
*
Um elevado senso de dever público só é certo se o país tiver um governo comunista.
*
Há respeito mútuo, mas somente entre os membros do partido.
*
As injustiças são definidas segundo os padrões comunistas, e até mesmo as matanças em massa não são consideradas injustas, se servem à causa do comunismo (do partido).
*
Assim, a violação das leis que existam não é considerada má, se for em benefício da causa revolucionária, inclusive deixar de dar atenção ao povo que, no final das contas, jamais chegará ao poder e deve estar sob a direção do governo, isto é, da nova classe dos chefes do partido.
*
Uma vez no poder, o comunismo não pretende deixa-lo jamais, porque sua finalidade é a revolução permanente (o que se verifica na experiência  histórica, ela jamais acaba).
*
A ditadura do proletariado (que Mao Tsê-Tung transformou em ditadura dos aldeões) aparece como um passo necessário no decurso da história, embora (na teoria) não seja um fator permanente. Mas, na prática, a chamada ditadura do proletariado nunca esteve perto de tomar-se uma realidade. O que impera, cada vez mais, é a ditadura do Estado dominado pela nova classe dos chefes do partido.
*
Essa ditadura, como dissemos, mantém-se graças ao poder militar que não atua em favor do cidadão, mantendo os ditadores no poder indefinidamente, ditadores que podem fazer o que quiserem e quando quiserem.
*
Eis o que ocorre.
*
Difícil de crer?
*

Analise os fatos.