Pular para o conteúdo principal

O QUE VEJO?





Há tanta coisa ocorrendo no mundo, em tantos níveis, ao mesmo tempo, mas uma apenas importa. Posto que essa, a que importa, é a que menos encontramos. A escolha é fato diário da vida do ser humano. Escolhemos tudo. Talvez, menos a que importa. As coisas da vida vêm e vão. O homem sempre escolhe suas mudanças, suas guerras, seus desejos, seus sonhos, seus vícios, seus prazeres, suas lutas. O tempo passa. Muita coisa se repete. Muita coisa se reapresenta com outra cara. Apenas uma permanece imutável. 


Vejo o que vem se tornando uma espécie de surto paranoico, a disputa entre a religiosidade e o laicismo, entre o crer e o ceticismo, transmutando-se, cada qual, em intolerância, assumindo contornos obscuros; sob muitos aspectos vêm disfarçados de direitos, defesas, teses, conceitos e quantos outros nomes assumem tais condutas. 


Vejo a disputa recrudescer. Vejo pedras voando de todos os lados. Vejo feridas sangrando de todos os lados. Mas uma coisa a todos aproveitaria. Vejo guerras, vejo fome, vejo doenças, vejo filas em busca de pão, vejo filas em busca de abrigo, vejo filas em busca de proteção, vejo filas em busca de médicos, vejo filas em busca de remédios. Mas uma coisa a todos aproveitaria. 


Vejo manipulações de gente boa, vejo manipulações de gente má. Ainda assim, o sol nasce e a chuva cai sobre todos. 


Vejo uma busca por afeto, mas vejo o afeto se tornando escasso, por isso, mercantilizado. Vejo uma busca por um ombro amigo, mas vejo armaduras serem colocadas sobre os ombros. Vejo uma busca sobre um peito aberto, mas vejo couraças sobre eles. Vejo uma busca pelo belo, mas vejo a beleza se resumir em aparência. Vejo a busca da felicidade, mas vejo que esta se transforma em gafanhotos devoradores do tempo e da vida. 


Uma coisa importa mais que todas, mas pouco vejo que a buscamos. 


Olho no espelho todos os dias e o que vejo? Vejo um ser humano ou vejo uma catapulta de pedras? Vejo um ombro ou armadura? Vejo lábios ou guilhotinas? Vejo um peito ou vejo couraças instransponíveis? Pergunto qual será minha escolha. Pergunto se o que busco é o que mais importa. 


O que mais importa? O que mais importa é o que eu escolho como o mais importante. O que mais me importa é aquilo de que encho meu coração. E do que venho enchendo meu coração? O que venho escolhendo colocar dentro de mim? O que venho escolhendo colocar para fora? 


Espero estar fazendo a escolha certa. A escolha de cada dia. O pão de cada dia que me alimenta. Acredito que a todos isso possa alimentar. Acredito que a todos aproveitaria. Pois nunca vi atitudes que sucederam esta escolha matar. Nunca vi esta escolha mutilar. Nunca vi esta escolha fomentar o ódio, a intolerância, disputas, vinganças, torturas, perseguições, embora ela possa permitir que alguém seja repreendido para que cresça, para seu próprio bem. Nunca vi esta escolha permitir a si e aos outros, inclusive os repreendidos, andar às escuras. 


A mim, uma coisa mais importa, e busco que permeie todo o resto, o amor (Ágape). 


Não, não é fácil. Não, não é perfeito em mim. 


Espero que seja cada vez mais em mim, e assim busco. 
Espero que todos nele se aperfeiçoem. 
Espero que todos dele se lembrem. 
Espero que alcance a todos. 
Espero que estejamos nele. 


No amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPACIDADE CIVIL ALTERADA PELA LEI 13.146/15

O artigo 114, da Lei 13146/15, publicada no dia 7 de julho, revoga algumas causas de incapacidade civil, que eram previstas no artigo 3º, do Código Civil, e entrará em vigor 180 dias após a sua publicação.
Estes incisos consideravam como incapazes os  que, por enfermidade ou deficiência mental, não tinham o necessário discernimento para a prática de atos jurídicos, mesmo por causa transitória, e não podiam exprimir sua vontade.
Toda norma que estabelece a capacidade civil é criada com fundamento em critério biológico ou psicológico, quer dizer, idade e capacidade mental, questão de ‘política’ social convertida em norma jurídica, quer dizer, o legislador considera uma circunstância social e legisla.
Mas uma vez que certo critério social já revela que a sociedade já não considera certas pessoas em determinadas condições como incapazes, o legislador cumpre seu papel de adequar as normas (ou cria a norma para adequar a sociedade?).
A capacidade, que é elemento da personalidade, é a “medida j…

Militar é incompetente demais!!! Militares, nunca mais!

Conforme pedido do autor do texto, retifico a autoria do mesmo. Logo abaixo do texto deixo o e-mail solicitando a retificação e reivindicando a autoria. Ainda assim, vale a pena ler o escrito.
Militar é incompetente demais!!! Militares, nunca mais!
Anselmo Cordeiro (Net 7 Mares)

Ainda bem que hoje tudo é diferente, temos um PT sério,
honesto e progressista.
Cresce o grupo que não quer mais ver militares no poder,
pelas razões abaixo.

Militar no poder, nunca mais.
Só fizeram lambanças.
Tiraram o cenário bucólico que havia na Via Dutra de uma só pista,
que foi duplicada e recebeu melhorias;
acabaram aí com as emoções das curvas mal construídas e os solavancos estimulantes provocados pelos buracos na pista.

Não satisfeitos, fizeram o mesmo com a rodovia Rio-Juiz de Fora.

Com a construção da ponte Rio-Niterói, acabaram com o sonho de crescimento da pequena Magé, cidade nos fundos da Baía de Guanabara, que era caminho obrigatório dos que iam de um lado ao outro e não quer…

A LINGUAGEM QUE CORRÓI COMO CANCER

EXMO"Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
Mas evita as conversas vãs e profanas; porque os que delas usam passarão a impiedade ainda maior, e as suas palavras alastrarão como gangrena; entre os quais estão Himeneu e Fileto, que se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição é já passada, e assim pervertem a fé a alguns.

Todavia o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os seus, e: Aparte-se da injustiça todo aquele que profere o nome do Senhor.

Escrevendo a Timóteo pela segunda vez, Paulo deixa claro que a língua é instrumento mortal.

Tiago ficou célebre entre nós pelo seu magnífico texto sobre o poder infernal e corrosivo da língua—neste site a epístola de Tiago tem sua re-leitura feita, procure—, mas quase nunca se dá atenção ao que Paulo falou à respeito da linguagem e da língua.

Ele diz que a língua tem o poder de subvert…