segunda-feira, 30 de abril de 2012

É fantástico...(?)



Assim! Coisa de absurdo é pouco! Na verdade absurdo já não designa mais o que se vê por aí.

No ‘Fantástico’ deste domingo (29-04-12), mostraram uma reportagem(?) sobre drogas sintéticas. Até aí, parecia tudo bem, se acabasse aí! Infelizmente não acabou.

A reportagem(?) foi tão apologista que pareceu que era um convite aos usuários, ou viciados, ou toxicômanos (já não sei como nomear sem correr o risco de cometer a gafe de ser politicamente incorreto no país do ‘politicamente correto’).

Pelo direito de informação(?) informou (a redundância é proposital), deu detalhes dos efeitos da droga, que seriam iguais ao da cocaína etc., inclusive deixou bem claro que quem quer que fosse apanhado com as mesmas (o uso dos ‘ques’ também é proposital) nenhuma conseqüência restaria para si (resumindo a douda história). Parecia uma propaganda de cerveja. Uma tranqüilidade tão aberradora que figura inominável!

É ou não é um belo uso da liberdade de imprensa?

Que haja liberdade defendo de unhas e dentes (aliás, é por isso que posso escrever tantas bobeirinhas aqui). O que não apóio é a libertinagem com esse direito. Acredito que o jornalismo (como tudo na vida) tem de ser consciente de sua repercussão, conseqüência.

Expor idéias não é o mal, mas deve-se saber, ter em mente, seus efeitos na sociedade, pela forma que se as expõe.

Ponto negativo (mais um?) para o dito programa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pelo comentário.