segunda-feira, 26 de outubro de 2009

AMOR BASEADO NA TROCA




Quando ouvimos de amor, logo temos uma cognição empírica do mesmo. Simplesmente conhecemos o amor baseado na troca. Sim, amor que se paga com amor. Amor que exige retribuição. Amor que brinda boas atitudes. Amor que ama, enfim, apenas após ser amado previamente.

Existe, entretanto, um AMOR incondicional. Amor que amou primeiro. Amor que não exige troca, simplesmente ama por ser pleno, perfeito. Somente ama de forma perfeita aquele que é amor. Não somos amor; temos amor, mas não o somos em natureza (podemos amar). Mas aquEle que É amor, esse ama em plenitude porque simplesmente manifesta aquilo que é. Esse amor se revela incondicionalmente, não exige nada, pois ama sem ser amado primeiro. Ama ainda que não se O ame posteriormente. Nesse AMOR somos ainda criancinhas, que, reconhecendo-O e escolhendo viver nEle, ainda engatinhamos em decisão diária de vivê-lo.

Vemos esse amor incondicional ainda que inexistam boas obras para sejam previamente reconhecidas. Assim foi com aquele ladrão que, arrependido, mudou seu coração e reconheceu o amor DAQUELE que Se entregava por ele, crucificado ao seu lado. Sem obras, teve o perdão daquEle que já o amava e o queria ao seu lado em seu reino.

Nosso amor, empírico, romantizado e egoísta pode não entender; pode querer projetar nossa natureza barganhadora, retributiva em DEUS, para tentar justificar-se a si mesmo e “ganhar o amor de Deus” como se fosse igual ao nosso. Entretanto, não é assim. Deus ama, simplesmente. A plenitude desse amor quer o bem, ainda que não o enxerguemos “romantizado” como gostaríamos. Ainda que não o compreendamos conforme nosso empirismo pessoal, barganhador e mesquinho.

Nessa escola, do AMOR eterno e pleno, sem barganhas, decidimos se queremos estudar. O professor é ELE. Onde Ler? Na Vida daquEle que, sem exigir trocas, entregou SUA VIDA. Pense nisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos pelo comentário.